Connect with us

Aprendizado

Natal – A Celebração Que Não Pode Ser Cancelada

Nicole Rizzutti Lemos

Publicado

em

Tempo de Leitura: 3 minutos

Que ano tem sido este! As notícias do Corona Vírus/COVID-19 não têm dado tréguas e o impacto da pandemia global tem sido diferente de qualquer coisa já vista. Ela se tornou tão grave que os mais destacados líderes nacionais emitiram alertas quanto à necessidade de “cancelar o Natal”. Tudo em nome de “deter a propagação”. Rupturas nas cadeias de suprimento para o transporte de mercadorias de uma região da nação para outra criaram grandes preocupações com relação a produtos para presentes e as celebrações da estação poderiam não ser possíveis.  

Isso remete ao clássico livro do Dr. Seuss, Como o Grinch Roubou o Natal. A pergunta é: pode o Natal realmente ser cancelado? Pode alguém “roubar” o Natal, não importa quais sejam as motivações ou intenções? A resposta, eu acredito, é que tudo depende de a qual Natal estamos nos referindo.  

Se for ao Natal pelo qual os varejistas esperam o ano inteiro – aquele que vai determinar majoritariamente se os negócios encerrarão o ano civil “no preto” ou “no vermelho” – então, é possível. Isso porque se os produtos não estiverem nas prateleiras das lojas ou disponíveis através dos sites online de varejo, há a tendência de afetar os rendimentos e o resultado fiscal. Entretanto, se estamos falando do verdadeiro Natal, como está descrito na Bíblia, nenhum líder de governo ou cadeia de suprimento varejista poderia jamais interromper ou eliminar esta comemoração especial. 

Em Lucas 2:1-40, encontramos a descrição do nascimento de Jesus Cristo, o Filho de Deus, relatando como Sua mãe terrena, Maria, e seu marido, José, vieram de Nazaré, sua cidade natal, a Belém, onde séculos antes os profetas haviam dito que o Messias haveria de nascer. O texto conta como anjos proclamaram o extraordinário e santo nascimento a uma audiência improvável, pastores modestos, as primeiras testemunhas oculares do Cristo Criança.  

Encontramos um relato similar em outro Evangelho, começando em Mateus 1:18 e continuando pelo capítulo 2, verso 23. Ele fala sobre Aquele a quem se refere como Emanuel, que significa “Deus Conosco”. Nesse relato encontramos um grupo de Magos, homens sábios que viajaram de grandes distâncias para ver o cumprimento de uma antiga profecia, e um mau rei, Herodes, que temia que aquela criança pudesse um dia depô-lo de seu trono.  

Porém, as palavras mais cativantes acerca da encarnação de Jesus Cristo são encontradas no capítulo de abertura do Evangelho de João: “No princípio, era Aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. Ele estava com Deus no princípio…Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens. A luz brilha nas trevas, e as trevas não a derrotaram.” (João 1:1-5).  

Esta declaração permanece tão verdadeira hoje como o era então. Durante essa época festiva frequentemente ouvimos as pessoas – de pregadores a comentaristas, passando por políticos e celebridades de entretenimento – ponderando e oferecendo todo o tipo de opiniões sobre “o verdadeiro sentido do Natal”. Entretanto, se cremos nos relatos citados acima, e outras passagens das Escrituras, o verdadeiro significado do Natal não é uma questão de múltipla escolha ou preferência. É simples, embora profundo: Deus Se tornou homem, assumindo a forma humana para vencer o único problema para o qual não existe cura humana – o problema do pecado.  

Como João 1:14 declara: “Aquele que é a Palavra tornou-Se carne e viveu entre nós. Vimos a Sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade.”  O resultado foi o maior presente de todos: “Contudo, aos que O receberam, aos que creram em Seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus.” (João 1:12).  

Próxima semana tem mais!


Robert J. Tamasy, é jornalista, editor e escritor, e autor de “Business at Its Best: Timeless Wisdom from Proverbs for Today’s Workplace” e “Tufting Legacies” (ainda não traduzidos para o português). Em co-autoria com David A. Stoddard escreveu “The heart of Mentoring” e tem editado numerosos outros livros, incluindo “Advancing Through Adversity”, por Mike Landry. Tamasy mantém um site www.bobtamasy-readywriterink.com e um blog atualizados semanalmente www.bobtamasy.blogspot.com. Tradução de Mércia Padovani. Revisão de Juan Nieto.


MANÁ DA SEGUNDA® é uma reflexão semanal do CBMC – Conectando Business e Mercado a Cristo, organização mundial, sem fins lucrativos e vínculo religioso, fundada em 1930, com o propósito de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo com a comunidade profissional e empresarial. © 2021 – DIREITOS RESERVADOS PARA CBMC BRASIL –  E-mail: adm.mana@cbmc.org.br -Desejável distribuição gratuita na íntegra. Reprodução requer prévia autorização. Disponível também em alemão, espanhol,  inglêse japonês.


Questões Para Reflexão ou Discussão  

1. Como a pandemia afetou seus planos e suas percepções a respeito do Natal este ano?

2. O que você pensa ou responde quando ouve alguém falar em “cancelar o Natal” em nome da saúde e segurança pública?

3. Se alguém lhe perguntasse, como você definiria o “verdadeiro significado do Natal”?  É possível que ele tenha mais de um significado? Por quê? 

4. Você acha que há a possibilidade de que as restrições da pandemia e escassez de produtos que serviriam para presentear no Natal possam, na verdade, ser algo bom?  Explique sua resposta.

Nota: Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: João 3:3-8, 16-18;  Romanos 3:23, 5-8, 6:23;  Efésios 2:8-9;  II Timóteo 3:16. 

Recentes:

Continue Reading
Clique para comentar
0 0 vote
Vote nesse Artigo
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

COGNOS SPACE - Todos os direitos reservados

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x

Design by VENONE Agência de design